Translate

domingo, 4 de agosto de 2013

Uns dias na Bahia



Esse ano troquei minhas férias com uma amiga, ou seja, nada de descansar em agosto, só em setembro. Mas como eu levaria a Lívia pra passear comigo se ela sai de férias em julho?
Bom, em julho eu tenho dez dias de recesso (trabalho em escola, né gente?), e resolvi pegar alguns desses dias pra passear com a filhota, tudo bem que nessa época do ano a grana é curta, mas a gente se arranja.
Dessa vez não fui com a cara e a coragem, não, fiz tudo certinho. Comprei as passagens e a hospedagem pela Azul, mas pra não descaracterizar o estilo mochileiro deixei para fazer os passeios por conta própria, e levei as tias junto, porque elas merecem...
Claro, o passeio foi todo planejadinho justamente por causa delas, a Beth gosta de tudo certinho, não dorme em barraca de jeito nenhum. A Tatá é mais tranquila, já acampou com a gente várias vezes, mas nunca tinha ido pra longe. Então pra realizar um antigo sonho da Tatá (andar no Elevador Lacerda), escolhi visitar Salvador.
Consegui passagens com preço legal pra mim e pra Lívia pro dia 17/07, mas com esse mesmo preço só consegui no dia seguinte pras tias.

1º dia: Dormi mal com medo de perder a hora, nosso voo sairia de Guarulhos às 10h30, mas pra evitar contratempos pegamos o ônibus aqui em São José às 06h30, chegamos cedo no aeroporto, o check in foi on line e as mochilas não precisavam ser despachadas, tudo tranquilo.
Pouco mais de meia hora no avião e chegamos no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, para uma conexão. Achei bonito o Rio de Janeiro, um dia vou passear lá. Às 14h30 voamos para Salvador, chegamos bem na hora do rush, tinha um pessoal nos aguardando pra fazer o transfer e pegamos aquele trânsito todo, chegando tarde no hotel, o Porto Farol, simples mas aconchegante, e pertíssimo do maravilhoso Farol da Barra, que estava lindo à noite iluminado com todos aqueles holofotes.
Confesso que estava com medo de andar por lá, mas estávamos com fome e fomos procurar um restaurante, acabamos optando pelo Barravento, pedi peixe mas trouxeram camarão, e como estava com uma cara boa eu aceitei, e pedi uma água de coco, aí chega o garçom com aquele coco imenso, parecendo uma fonte, jorrando água, nossa, nunca bebi tanta água de coco de uma vez, que delícia!
Na volta a Lívia quis descer para ver de perto as piscinas naturais, eu morrendo de medo, naquele escuro, mas vi que algumas pessoas estavam se exercitando ali na areia e fiquei mais tranquila, as piscinas que se formam na maré baixa ficam cheias de peixinhos, uma belezinha! Voltamos pro hotel e apagamos.

Uma vista do Rio de Janeiro
O Cristo lá longe... deu pra ver?
Os aviõezinhos da Azul
Fazendo uma horinha entre as conexões
Lívia e eu no Aeroporto Santos Dumont
Oba, nosso avião chegou!!!
Partindo pra Bahia!
O Farol da Barra visto à noite
A orla da Barra
2º dia: Eu queria ir pra Arembepe e a Lívia queria ir ao Zoológico, mas as tias ligaram avisando que o voo delas não teria mais a conexão, portanto chegariam mais cedo, aí a Lívia quis esperá-las pra gente sair, então pra matar o tempo fomos mais uma vez passear entre as piscininhas naturais e visitar o Farol da Barra, também subimos até o Forte São Diogo e visitamos a Igreja de Santo Antonio da Barra, no alto de uma ladeira. As tias chegaram a tarde, descansaram e nós fomos passear ali por perto mesmo porque estava tarde pra ir pra algum lugar mais distante (e tudo lá fica longe). Saímos a noite para jantar, fomos comer camarão no Opacá, e passeamos pela orla até o Cristo.

Dentro do Farol funciona o Museu Náutico
Esse é o Cristo da Barra

Quando a maré sobe vemos muitos peixes ali porque a água é límpida
Fortaleza Santa Maria
Painel ao lado do Marco de Fundação de Salvador
Esse farol é lindo demais! Mereceu muitas fotos
Edifício Oceania
Forte Santa Maria ao fundo
Igreja Santo Antonio da Barra
Piscinas naturais cheias de peixinhos, caranguejos  e tatuís

Cuidado com a moréia!!!




Quando a maré baixa dá pra curtir as piscinas naturais
Forte São Diogo
Mar azul...
Que lindo o teto da igreja Santo Antonio da Barra
Apreciando a vista no Opacá
Orla com Farol ao fundo
3º dia: Acordei com o barulho da chuva (essa não!!!), mas logo passou, ficando um tempo abafado, nublado, como não rolava praia com esse tempinho chato resolvemos conhecer o Pelourinho e finalmente andar no Lacerda, tomar um sorvete e conhecer o Mercado Modelo. Tenho que falar, o pessoal lá em Salvador não gosta de dar informação, e ainda informa tudo errado, se você quer pegar um ônibus eles te mandam pra um ponto que não tem nada a ver, aí no outro ponto te mandam de volta pro que você estava e depois pro outro, afff!!! Mas conseguimos pegar o ônibus, que parou pertinho do Pelô, descemos e fomos direto no Lacerda, pagamos R$ 0,15 pra descer, o elevador vai lotado, com gente de todo tipo! Na praça uma cigana agarrou minha tia e queria vender uma "benção", e ainda ficou brava porque não quisemos! No Mercado Modelo tem muita coisa bonita, culinária e artesanato, mas nem todos os vendedores são legais, duas não foram educadas comigo, e com uma eu apelei, poxa, a mulher falando mal de mim na minha frente só porque eu perguntei se não tinha alguma bonequinha com a inscrição Salvador, ela foi bem estúpida (desculpem a sinceridade, mas não quero que ninguém chegue lá iludido) fiquei com raiva e fui comprar as bonequinhas em outra banca, comprei mais umas lembrancinhas e subimos no elevador novamente, na entrada do elevador tem uma sorveteria que vende alguns sabores exóticos, eu tomei um de tapioca. Aí fomos andar no Pelourinho, que está com pintura nova, muito bonito, bastante movimento, mas é bem sujinho, como todos os lugares em que estivemos lá em Salvador, é difícil encontrar lixeiras nas ruas, e as pessoas ignoram as poucas que existem, jogando tudo no chão, inclusive usam o chão e as paredes pra fazer algumas necessidades também, o que deixa a cidade com um cheirinho característico de xixi!
Na volta paramos no Shopping Barra, lindo, limpinho, enorme. Almoçamos ali mesmo, fizemos algumas compras e pegamos um ônibus de volta pro hotel, mais uma vez o pessoal não passou informação direito, porque mal entramos no ônibus e já descemos, se ao menos tivessem avisado que estávamos quase do lado do hotel, teríamos ido a pé mesmo, hauahauahauahauahauaha!!! 
À noite pegamos um táxi para ir ao Dique do Tororó, o taxista parecia piloto de corrida, minhas tias estavam apavoradas (ah, os motoristas de ônibus e vans também apostam corrida!!!), li bastante coisa sobre o dique, as pessoas diziam que era lindo, com restaurantes no entorno, etc... Fiquei tão decepcionada quando cheguei lá, não era nada do que tinha imaginado. É uma lagoa, no meio de uma avenida, com alguns pedalinhos que não funcionam à noite, uma pista para caminhada ao redor e uma pizzaria, alguns aparelhos para ginástica e playground, nada de mais, inclusive as praças aqui da minha cidade são muito mais bonitas, dentro d'água algumas estátuas de orixás que são iluminadas por holofotes, é o único diferencial. Mas pra quem gosta de futebol a Arena Fonte Nova fica bem do lado, e está muito bonita! Caminhamos ao redor do Dique, pegamos um ônibus e paramos pra comer batata frita e milk shake no Bob's perto do hotel. Dormimos como pedras!

No busão...
Olha o Lacerda aí atrás!
Tomé de Sousa
Um pouco de Pelô
Palácio Rio Branco
Mais Pelourinho
Pelourinho






Dique do Tororó
4º dia: Uma chuva! Que tristeza! Tomamos o café da manhã e assim que a chuva diminuiu fomos pegar um ônibus até Lauro de Freitas, cidade vizinha, e de lá embarcaríamos num ônibus da Linha Verde, pegando a Estrada do Coco, para irmos à Praia do Forte. Depois de muita desinformação conseguimos embarcar num ônibus lotado, a Tatá já estava bufando, hauhauahauahauaha, ao final do que parecia uma eternidade chegamos à Praia do Forte, descemos no último ponto pois fica próximo ao Projeto Tamar. Nossa, assim que descemos do ônibus o ânimo da tia mudou: que lugar encantador! Tudo limpinho, organizado, bonito e aquele sol. A Vila é basicamente comercial, mas se você prestar atenção atrás das lojas, sorveterias e restaurantes, ficam as casas dos moradores, uma graça! Eu e a Lívia fomos direto ao Tamar, pagamos R$ 12,00 por pessoa e amamos ver o trabalho que eles desenvolvem, tiramos fotos, vimos aquelas tartarugas enormes e aqueles filhotinhos minúsculos, foi incrível! Depois perguntamos pra funcionária de um restaurante se por ali tinha algum self-service, ela foi muito simpática e nos indicou o restaurante Casa da Nati, onde todos eram uma simpatia também, almoçamos, passeamos pelo local e fomos à praia, linda praia, mas é de tombo e tem muitas pedras, portanto é bom ser cuidadoso. Na volta foi engraçado, a Tatá achou que não tinha mais ônibus e entrou na primeira van que apareceu, então tá, conseguimos sentar, entraram dois rapazes e uma moça franceses e se acomodaram no assoalho mesmo já que a van estava lotada, a mocinha que nos deu informação sobre o restaurante também estava lá, simpática como sempre. A van parava em todos os pontos e ia colocando gente dentro, e mais gente, e mais, e mais!!! Nunca vi uma van tão lotada! Já assistiram ao filme "Velocidade Máxima"? Então, o motorista devia ser fã, porque corria como um louco, as tias desesperadas, o povo espremido dentro da van, e eu dando risada da situação. Descemos próximo à rodoviária, atravessamos o viaduto e erramos de ponto umas duas vezes até nos informarem direito onde pegar o ônibus pra Barra, dessa vez descemos próximo ao shopping e voltamos a pé pro hotel.

Projeto Tamar
















Igreja São Francisco de Assis
Orla da Praia do Forte
Criativo esse toalete!
Réplicas das espécies que habitam a costa brasileira










Restaurante Casa da Nati
Mero
Olha aí os dados oficiais!

Essa é de verdade

5º dia: Todo mundo cansado, resolvemos ficar por perto, fomos até a Praia do Porto da Barra, pequenininha mas limpa, a água transparente e quentinha, fica entre dois fortes: Santa Maria e São Diogo, ali alugamos duas cadeiras e um guarda-sol por R$ 10,00, fale com o Gabriel, ele é muito solícito. Ficamos por ali até a hora do almoço, a Lívia não saía da água por nada, também, aquela delícia de praia! Consegui até pegar uma corzinha... Almoçamos num self-service ali perto, tomamos sorvete na Ibiza, passeamos pela orla e a tarde eu e a Lívia fomos assistir ao pôr-do-sol no Farol da Barra. Um espetáculo! Você vai chegando perto do Farol e vê que todos tiveram a mesma idéia, aquela multidão se dirigindo pro mesmo local, enquanto outros preferem ver o espetáculo no Forte Santa Maria. O povo se junta ao redor do Farol, sentam-se ali, tocam violão, conversam, enquanto o sol vai baixando sobre o mar pra se pôr atrás da Bahia de Todos os Santos, muitas fotos, muitos olhares maravilhados, um certo silêncio no ar e quando o astro finalmente se põe o silêncio é quebrado por uma salva de palmas. Coisa linda de se ver!!! Ficamos encantadas! 
Anoiteceu, a Lívia mais uma vez foi olhar os peixinhos de perto, passeamos pela orla, foi uma despedida e tanto com aquele por do sol tão lindo! Voltamos pro hotel, fizemos nosso check out e a van já nos esperava pra voltarmos ao aeroporto.Chegamos em casa de madrugada, mas tudo valeu a pena!

Essa Lívia não tem jeito, rsssssss!!!!
Curtindo a Praia do Porto da Barra

A transparência da água



Deus nos presenteando com esse lindo por do sol
As pessoa reunidas no Farol pra apreciar o por do sol
Ocaso



Dispensa mais palavras...









Alguns preferem ver o por do sol aqui
Vista a partir da piscina do hotel
Impressões de turismóloga e mochileira: É uma aventura e tanto, principalmente andar de ônibus e van. Evite locais desertos (isso é de praxe), ouvimos dizer que nas vielas do Pelourinho (e outros bairros) ocorrem muitos assaltos, por isso andamos sempre em locais com grande movimento, mas com o tempo aquele medo com que chegamos à Bahia foi cedendo. Salvador é uma cidade grande, e algumas atrações ficam distantes, mas vale a pena enfrentar a estrada pra conhecê-las. Não se iluda, a cidade é suja sim e não cheira bem mesmo, pra ninguém dizer que não avisei, e são poucas as pessoas dispostas a ajudar, mas existem algumas de bom coração, graças a Deus! Não deixe de conhecer a Praia do Forte, fica a 82 Km de Salvador, se você não estiver de carro pode ir de ônibus ou van (que doideira!), a partir do Bairro São Cristovão ou da cidade de Lauro de Freitas, a passagem está custando R$ 2,80 nos ônibus, a van cobrou R$ 7,00 e o expresso Linha Verde R$ 5,40. No caminho dê um pulinho na Aldeia Hippie de Arembepe. Graças a Deus deu tudo certo, apesar de não ter conhecido muitos lugares que estavam nos planos, viajar sempre é bom, é sempre uma aventura, sempre vale a pena! Essa foi minha segunda ida à Bahia, a primeira foi em 1995, Porto Seguro e eu gostei muito, recomendo. Mais informações aqui: bahia.com.br, e boa viagem!

Estamos indo de volta pra casa...





8 comentários:

  1. Bonitas fotos e um post bem legal, com boas dicas.
    Que venham outras viagens tão boas quanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Seu Luiz! Em setembro tem mais, se Deus quiser. Uns dias no Pará...

      Excluir
  2. Olá Lelah! Que bela matéria!!! A Bahia, seus encantos e belíssimas paisagens!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a Bahia com aquele calor maravilhoso, não aguento mais o frio que está fazendo aqui!!!
      Qualquer hora a gente vai é pra Minas, ainda quero conhecer a Ibituruna...
      Um abração!

      Excluir
  4. Olá Lelah Leite

    Lindo post é este menina!!!
    Ano passado estive na Bahia e vendo estas fotos fiquei com água na boca, alias Bahia é tudo de bom!!!
    Quem já foi não esquece jamais...

    Parabéns

    Voadores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Voadores! Pois é, foi a segunda vez que visitei a Bahia, e espero que venham outras, na próxima vou direto pra Praia do Forte, que amei! E aquele calor todo? Tudo de bom mesmo!!!
      Um abração!

      Excluir
  5. Olá Lelah, tudo bem? Estava passando pelos blogs, pra conhecer alguns que eu gostasse, e cheguei aqui! O blog é bem leve e bem humorado, gostei bastante! Aproveitando, tb estou com um blog, mas com uma roupagem um pouco mais "jornalística!" vamos dizer assim, com dicas e notícias sobre viagens e tursimo, queria que visitasse e me falasse o que achou! Dicas de quem está por aí a mais tempo são sempre bem vindas! queria saber se estou no rumo certo! Um abraço e sucesso em suas viagens e no blog! O meu é o http://viagempravoce.com.br/

    ResponderExcluir