Translate

domingo, 21 de setembro de 2014

Impressões da Bahia - Jorrinho, Jauá e finalmente Arembepe


O Marcos já tinha combinado com o Kennedy, amigo dele, de irmos para Jauá e Arembepe no sábado, por isso quando o dia chegou levantei cedo e me arrumei.
O Kennedy levou a esposa, Sandra, e o filhinho, o Léo. No caminho para Jauá ele nos levou ao Jorrinho, uma graça de lugar, é um espaço que precisa ser mais divulgado, uma chácara com uma fonte de onde jorra água quente, possui um restaurante e um lindo igarapé ao fundo. Fizemos uma parada para fazer uma boquinha, e seguimos para Jauá. Eu não estava tão animada assim porque estava sentindo um pouco de frio ainda e ameaçava chover.




Dito e feito, assim que chegamos bateu um vento gelado, e começou a cair uma chuva fina, ficamos pouquinho tempo ali, mas é um lugar muito bonito. A praia é otima para crianças pois possui um quebramar natural, o que deixa a praia sem ondas e bem rasinha. Eu achei lindo, mas queria conhecer Arembepe e sua Aldeia Hippie, além do Projeto Tamar, que o Marcos gosta muito de visitar.






Seguimos até Arembepe, nem paramos na cidade, fomos direto ao Tamar. Pagamos a taxa de R$ 6,00 por pessoa (criança paga meia) e entramos para conhecer essa pequena amostra do paraíso e cuidado com a natureza. Que lugar bonito! É bem mais simples que o Tamar Praia do Forte, mas a beleza do lugar é estonteante. Fiquei encantada, tiramos fotos, nos apaixonamos pelas tartarugas, principalmente os filhotinhos e seguimos pra Aldeia Hippie, que fica ali do ladinho.

























Subimos uma pequena dunas, tiramos mais fotos, e na descida já estávamos na Aldeia, à beira de um lago muito bonito, aliás, a região concentra muitos lagos e rios, rodeados por coqueirais, dá gosto de ver. Pensa num lugar pitoresco, pensa numa calma... pensou na Aldeia Hippie. É linda mesmo, a paisagem, o mar ao fundo, logo depois de uma duna, as casinhas simples, a feirinha de artesanato, o Restaurante do Roque, que vende comida bem caseira, "simprona de tudo", mas é tão baratinho, uns R$ 12,00 o prato feito. Era tudo que eu imaginava, e ainda tem um camping bem baratinho, R$ 20,00 por barraca, fica no quintal do Luís, um artesão muito bicho-grilo e muito gente boa, ele deixa você visitar a cabana dele todinha, o camping é bem pequeno e o banheiro é a rusticidade escrita, banho é no rio Capivara que corta a Aldeia, não cheguei a acampar lá, mas amei o lugar.









Arembepe é a primeira e última Aldeia Hippie do Brasil (dizem que é a última do mundo), surgiu entre as décadas de 60 e 70 junto com o movimento hippie e ficou muito famosa com a passagem de alguns personagens importantes do cenário artístico e musical brasileiro e internacional, como Janis Joplin, no entanto isso não abalou a tranquilidade do local, a paz ali continua a mesma.
Além do artesanato e do turismo em si, os moradores promovem luais, inclusive o Festival da 1ª Lua Cheia, em janeiro, que dura três dias, e que ajuda também na arrecadação de alimentos e outros bens para a população local, inclusive para a Escola Menino Luz, que atende as crianças da comunidade.





















O Kennedy e a família precisaram voltar para Camaçari, eu e o Marcos ficamos, fomos conhecer a cidade, seguimos pela praia, linda praia, andamos bastante, mas a beleza estonteante do lugar não nos deixava cansar, chegamos e me encantei novamente, um lugar bonito, limpo e muito colorido. Visitamos lojinhas de artesanato, tomamos sorvete de frutas do norte e nordeste, e fomos pra casa. Foi um dia muito gostoso e eu me realizei conhecendo aquele paraíso...
Se estiver na região metropolitana de Salvador, não deixe de conhecer Arembepe, um encanto de lugar, lembrando que é um distrito de Camaçari, que possui um litoral privilegiado, com praias lindas!

Dicas úteis:

http://turismo.camacari.ba.gov.br/paraiso.php?cod_paraiso=1
A Bahia é dividida em 13 Regiões Turísticas, sendo que Arembepe faz parte da região denominada Costa dos Coqueiros.
Gosta de acampar? Aproveite que aqui é baratinho e bem rústico, e o preço é por barraca e não por pessoa.
Ônibus na Bahia é muito barato, compensa, mas se tem amor à vida, não use as topics (vans) pois correm demais e são superlotadas.


4 comentários: