Translate

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Um pedacinho do Uruguai


Sabe quando você está com a viagem toda planejada e de repente tem que mudar tudo? Pois é, nas férias de 2011 ia pra Bahia, afinal o Marcos estava morando lá a trabalho, ia passar um mês inteirinho... Mas a empresa o mandou de volta e eu tive que inventar outra viagem.
Pensei, peguei umas dicas, me disseram que com um pouco de dinheiro a mais eu poderia conhecer outro país, mas não dava tempo de juntar mais grana, só que a idéia de visitar outro país ficou martelando na minha cabeça, e eu pensei: - Por que não? Nem que seja aqui perto, nem que seja uma viagem relâmpago!?
Então decidi ir pro Chuy (é assim mesmo, Chuí no Brasil e Chuy no Uruguai). Dei uma pesquisada no Mochileiros.com e vi que não tinha nada interessante pra fazer no Chuy além das compras, mas que logo ali do lado ficava um lugar bem pitoresco chamado Punta del Diablo... Beleza, tava decidido! Fiz minhas reservas no hostel La Casa de Las Boyas, comprei as passagens aéreas até Porto Alegre e de lá seguiria de ônibus. Peguei a Lívia, minha tia Beth (que detesta acampar, mas encara um albergue) e partimos no dia 04/08.





Foi o primeiro voo da Beth e da Lívia, e elas amaram, sonho nº 1 da filhota realizado: voar! Chegamos em Porto Alegre, compramos as passagens pro Chuí, mas o ônibus sairia só as 23h00, então fomos dar uma voltinha em Gramado e Canela, que charme de lugares, chegamos na véspera do Festival de Cinema, e a cidade já estava no clima. Pegamos o último ônibus pra Porto Alegre e embarcamos pro Chuí, nesse dia economizamos uma hospedagem, chegamos pela manhã no Chuí, desculpa gente, mas que lugarzinho feio, atravessamos a avenida que divide os dois países e fomos tomar café numa padaria no Chuy, onde o povo fala portunhol, e eu morrendo de vergonha de usar o meu "espanhol" enferrujado, se bem que ali o povo entende numa boa nossa língua. Ah, sonho nº 2 da Lívia realizado: conhecer outro país!





Esperei abrir a casa de câmbio, troquei meu dinheiro e comprei a passagem até Punta del Diablo, e aí pegamos o sonho nº 3 da Lívia: ônibus de 2 andares! Ah, como é simples ser criança... É muito perto, e achei interessante uma parte da estrada funcionar como pista de pouso de emergência. Passamos por uns vilarejos e finalmente chegamos ao nosso destino, aí fui perguntar pra atendente do guichê onde ficar La Casa de Las Bôias (espanhol enferrujadíssimo), aí ela me respondeu com outra pergunta: La Casa de Las BoJas? Aí ela apontou pro lado e falou um monte de coisas que não entendi. Minha tia e minha filha contando com minha "fluência" no espanhol me perguntaram o que ela disse e eu respondi apontando pro mesmo lado que a mulher: - É prá lá.
Então fomos "pra lá", Punta del Diablo é uma antiga vila de pescadores, chão de areia, e minha tia com uma mala de rodinhas, huahahuahauahahaa! Aí perguntei pra um rapaz onde era o hostel, ele falou a mesma coisa que a mulher, e apontou "pra lá", só entendi ele dizer que era no final da rua, e lá chegando a Rocío, com quem eu vinha negociando minha estadia já estava nos esperando, uma simpatia de pessoa, nos acomodou em nosso aposento, ajeitamos nossas coisas e fui lá adiantar o pagamento.



Aí peguei a Lívia e fomos dar uma longa caminhada até um farol muito bonito, um frio que estava fazendo, um vento gelado, um mar bravo e eu doida pra ver algum lobo marinho passeando por ali, mas o máximo que conseguimos foi ver uns pinguinzinhos e um lobo marinho mortos...





À noite comemos no único restaurante que estava aberto, Lo de Olga, comida simples mas farta e gostosa, a Olga que é a simpatia em pessoa, preparou uma macarronada com uns camarões rosa enormes, não aguentei comer tudo. uma fartura mesmo! A cidade estava bem deserta porque funciona mesmo só no verão, quando fica lotada de turistas de todo canto...



No 2º dia fomos conhecer Cabo Polônio, para tanto tivemos que pegar um ônibus até Castillos (que é menos fria porque não venta tanto como no litoral) e de lá para Cabo. Conhecemos uma americana da Flórida, a Kristiny e um americano de Boston. Ficamos na entrada do Parque Nacional de Cabo Polônio, fomos até o guichê comprar os ingressos e eu naquela timidez com o "espanhol",  mas percebi que o atendente entendia português e respirei aliviada, aí ele riu: "-É, estava toda tímida aí e agora já perdeu a vergonha é?", seu nome é José, é uruguaio mas tem parentes no Brasil, então fala muito bem. Ele é o faz tudo lá, mora no parque, vende os ingressos e leva a gente até o vilarejo num caminhãozinho 4x4 (nem tente ir num carro comum, é impossível), é uma comédia andar nesse caminhãozinho, ele tem uma estrutura sobre o caminhão, com banquinhos de madeira e é lá em cima que eu e a Lívia escolhemos ir, venta demais, congelamos lá em cima, e como chacoalha, pensamos que íamos cair, chegamos a achar que era sacanagem dele, mas a estrada (que estrada? nem tem!!!) é horrível, um areal só! Aí quando o vilarejo apontou em meio às dunas parecia um sonho, que coisa mais linda!!! Como sempre a gente procurando os lobos na praia e nada, aí o José nos deixou no meio do vilarejo e nos buscaria dentro de 2 horas no máximo, aí acabou a bateria da minha câmera e eu fiquei frustrada porque voltei sem fotos. Quando ele falou pra darmos a volta no farol que os lobos ficavam numas pedras ali atrás a Beth se assustou, pensou que eram lobos de verdade, hauhauhauahauahauaha!!! Expliquei e fomos lá. Gente, é lindo demais! Tinha muitos, mas muitos lobos mesmo, todos tomando sol nas pedras, fiquei encantada, tanto que nem vi a hora passar, e logo o José voltou pra nos pegar. Ele acabou nos dando uma carona até Castillos senão ficaria muito tarde e não conseguiríamos pegar o ônibus até Punta. Chegamos e fomos direto pra cama.





Terceiro dia conhecemos um argentino, o Martín, e um italiano, o Alessandro, que estavam hospedados no alojamento acima do nosso, muito simpáticos, com o Martín me comunico ainda pelo facebook, ele acabou abrindo uma pousada lá também, a Terraferma Casa de Viajeros, um dia volto lá pra conhecer. Peguei a Lívia e a Beth e fomos de ônibus até a Fortaleza de Santa Teresa, estava deserto, mas o lugar é lindo, de lá esticamos até o Parque Nacional de Santa Teresa e eu queria voltar caminhando para o hostel, mas onde é que eu tava com a cabeça mesmo? Andamos, andamos e nada. Até que passou um rapaz com a namorada numa moto e eu pedi informação de como chegar a pé em Punta, aí ele arregalou os olhos, depois franziu o cenho e me perguntou com um vozeirão: "- Estás loca?" E falou que eu só ia chegar no dia seguinte, se não morresse congelada antes, aí mostrou o caminho que eu devia pegar até a rodovia para tomar um ônibus. Mas eis que no meio do caminho passa uma pick up, eu estiquei o dedão e consegui uma carona com um casal muito simpático, o Martín e a Paola, com seus filhinhos Jeronimo e Lara, ele vem direto a São Paulo por conta do trabalho então tem um português muito bom, fomos conversando sobre nossos países e eles nos deixaram na porta do hostel, a noite fomos andar no vilarejo que estava um pouco menos deserto, compramos umas lembrancinhas e fomos descansar pra viagem do dia seguinte.








Voltamos pro Chuy, compramos umas coisinhas nos free-shoppings de lá, e à noite pegamos o ônibus pra Porto Alegre, chegamos lá pela manhã, mais uma vez o ônibus foi nossa hospedagem, pegamos um pouco de chuva, mas deu pra dar uma voltinha na cidade até a hora do nosso voo. Foi um passeio inesquecível, tenho que voltar lá e levar o Marcos junto, aquele lugar é a cara dele.








6 comentários:

  1. O Uruguai é um país muito bom e receptível. Já fui pro Parque de Santa Terese e Punta del Diablo duas vezes. São lugares tranquilos, com lindas praias e ótimos para descançar.

    Também escrevi um post sobre eles, quando puder da uma olhada lá http://www.rangoetrago.com.br/punta-del-diablo-uruguai/

    Abc
    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dei uma olhada lá, muito legal, Ricardo. Tou louca pra voltar lá, mas agora quero ir no verão. No meu face tem mais fotos do passeio, e nem coloquei todas, dá uma olhada lá: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2302845174259.2137081.1343105138&type=3.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Adorei suas dicas, muito bom mesmo.
    Estive em Punta e Montevideu e fiquei muito contento.
    Gostaria de recomendar o restaurante El Fogon e o restaurante El Viejo y el Mar (peixe, salmon), em Punta recomendo o restaurante Lincanto !!!, também a organização das reservas de hotel, carro, Bouza, passeios, todo, da http://www.indooruruguay.com , são uruguaios mas falam portugués e paguei com boleto bancario. Se aluga carro, lembrar, nunca ande com faróis apagados. Seja dia ou noite. Faróis sempre acessos. Obrigada pelas dicas e vou acompanhar sempre. Marcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marcio!!! Fica a dica pro pessoal que resolver passear por aquele país tão lindo e amigável!!!
      Um abraço!

      Excluir
  3. Me inspirou! Acabo de comprar as passagens :) para fazer um roteiro BEM parecidinho, sozinha com dois filhos! Podemos conversar mais? :) Bjo, lindas fotos, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Silmara! Que legal! Tenho certeza que vocês vão adorar, eu mesma morro de vontade de voltar lá (de preferência no verão, rsssss), paizinho bom demais, viu? Queria ter passado mais tempo lá. Mas claro que podemos conversar mais sobre isso. Se você preferir pode me add no Facebook, aí te passo umas dicas...
      Um abraço e boa viagem!

      Excluir